As letras do 9ºD

Blog dos alunos do 9ºD da Escola EB 2/3 de Penafiel N.º2

A Páscoa

Posted by rute24 em Abril 9, 2009

Olá turma!🙂

Sabemos que ainda não acabaram os textos de opinião mas, aqui vamos propor uma pesquisa. Propomos que elaborem uma pesquisa sobre o porquê de o coelho, os ovos, o fular e a sineta ( campainha, sino)serem associados à Páscoa…   cepergs_sineta1

Se quiserem podem também colocar aqui imagens, ilustrações para que seja um pouco diferente e mais divertido…🙂

Fiquem bem😉 e façam tudo com calma…🙂

Carlos; Patrícia; Rute; Sandra😉

37 Respostas to “A Páscoa”

  1. elsapinto said

    Grupo, eu sei que vocês sabem que os textos de opinião ainda não acabaram mas na minha opinião estão a ir muito depressa com os trabalhos, eu sei que não é por mal, mas eu tento vir cá todos os dias mas não tenho tido tempo nenhum porque já são alguns trabalhos e por estarmos de férias não tenho o acesso ao computador todos os dias😐

    Eu coloquei aqui uma lenda sobre o coelho da Páscoa:

    Uma outra lenda conta que uma mulher pobre coloriu alguns ovos e escondeu-os num ninho para dá-los a seus filhos como presente na Páscoa. Quando as crianças descobriram o ninho, um grande coelho passou a correr. Espalhou-se então a história de que o coelho é que trouxe os ovos. A mais pura verdade, alguém dúvida?
    No antigo Egipto o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da Antiguidade consideravam-no símbolo da Lua. É possível que ele se tenha tornado símbolo pascal devido ao facto da Lua determinar a data da Páscoa.
    Mas o certo mesmo é que a origem da imagem do coelho na Páscoa está na fertililidade que os coelhos possuem. Geram grandes ninhadas!

  2. ruidaniel said

    Escolhi falar do folar da Páscoa.🙂

    Reza a lenda que, numa aldeia portuguesa, vivia uma jovem chamada Mariana que tinha como único desejo na vida o de casar cedo. Tanto rezou à Santa Catarina que a sua vontade se realizou e logo surgiram dois pretendentes: um fidalgo rico e um lavrador pobre, ambos jovens e belos…
    A jovem voltou a pedir ajuda a Santa Catarina para fazer a escolha certa e enquanto estava concentrada na sua oração, bateu à porta Amaro, o lavrador pobre, a pedir-lhe uma resposta e marcando-lhe como data limite o Domingo de Ramos.

    Chegado o Domingo de Ramos, uma vizinha foi muito aflita avisar Mariana que o fidalgo e o lavrador se tinham encontrado a caminho da sua casa e que, naquele momento, travavam uma luta de morte. Mariana correu até ao lugar onde os dois se defrontavam e foi então que, depois de pedir ajuda a Santa Catarina, Mariana soltou o nome de Amaro, o lavrador pobre.

    Na véspera do Domingo de Páscoa, Mariana andava atormentada, porque lhe tinham dito que o fidalgo apareceria no dia do casamento para matar Amaro. Mariana rezou a Santa Catarina e a imagem da Santa sorriu-lhe. No dia seguinte, Mariana foi pôr flores no altar da Santa e quando chegou a casa verificou que em cima da mesa, estava um grande bolo com ovos inteiros, rodeado de flores, as mesmas que Mariana tinha posto no altar. Na casa dos seus dois pretendentes também apareceu um bolo igual. Mariana ficou convencida de que tudo tinha sido obra de Santa Catarina.

    Inicialmente chamado de “folore”, o bolo veio, com o tempo, a ficar conhecido como folar e tornou-se numa tradição que celebra a amizade e a reconciliação. Durante as festividades cristãs da Páscoa, o afilhado costumam levar, no Domingo de Ramos, um ramo de violetas à madrinha de baptismo e esta, no Domingo de Páscoa, oferece-lhe em retribuição um folar.

    O folar, em Portugal, é também designado como o pão da Páscoa. A forma, o conteúdo e o segredo da confecção varia conforme as regiões, e vai desde o salgado ao doce, nas mais diversas formas.

    Em Trás-os-Montes, é tipicamente salgado e recheado com carnes de porco (linguiça, salpicão, presunto…), e em Chaves não se foge à regra: salgado, recheado com as carnes e em forma de bôla ou pão. Há quem os coza nos fornos a lenha caseiros, ou então no forno comunitário da aldeia.

    Aqui fica a receita para os mais dotados na culinária:

    Ingredientes:

    – 1 Dúzia de ovos caseiros
    – 1 kg de farinha
    – 125 Gramas de manteiga
    – Presunto de Chaves q.b.
    – Linguiça caseira q.b.
    – Salpicão caseiro q.b.
    – Carne gorda de porco q.b.
    – Uma chávena (de café) de azeite
    – Fermento q.b.
    – Sal grosso q.b.

    Modo de Preparação:

    Cortam-se as carnes em pedaços pequenos, batem-se os ovos e vão-se misturando e amassando com farinha, junta-se a manteiga derretida, azeite, fermento e sal, depois de bem amassado põe-se a massa a levedar durante 30 minutos. Depois de a massa estar levedada, separa-se e juntam-se as carnes, forma-se as “bôlas”. Entretanto prepara-se o forno. Depois de pronto, colocam-se os folares e aguarda-se mais ou menos 1 hora.
    🙂

  3. elsapinto said

    Rui, está uma receita bem clara mas eu detesto fular😐

  4. ruidaniel said

    Elsa

    Sempre podes comer um pão-de-ló de Ovar ou do outro mais seco. Delícia!!😛

  5. vanessa94 said

    Olá!😉
    Eu resolvi fazer sobre os ovos de Páscoa.😀

    Os ovos de chocolate ou ovos de Páscoa são uma tradição milenar relacionada ao cristianismo. Costumava-se pintar um ovo oco de galinha de cores bem alegres, pois a Páscoa é uma data festiva que comemora a ressurreição de Jesus Cristo, sendo o ovo um símbolo de nascimento. Outros povos como os gregos e os egípcios também coloriam ovos de galinha oco, porém em datas diferentes.

    O ovo é símbolo bastante antigo, anterior ao Cristianismo, que representa a fertilidade e a renascimento da vida. Muitos séculos antes do nascimento de Cristo, a troca de ovos no Equinócio da Primavera (21 de Março) era um costume que celebrava o fim do Inverno e o início de uma estação marcada pelo florescimento da natureza. Para obterem uma boa colheita, os agricultores enterravam ovos nas terras de cultivo.

    Quando a Páscoa cristã começou a ser celebrada, a cultura pagã de festejo da Primavera foi integrada na Semana Santa. Os cristãos passaram a ver no ovo um símbolo da ressurreição de Cristo.

    Colorir e decorar ovos é um costume também bastante antigo, praticado no Oriente. Nos países da Europa de Leste, os ortodoxos tornaram-se grandes especialistas em transformar ovos em obras de arte. Da Rússia à Grécia, os ortodoxos costumam pintar os ovos de vermelho. Já na Alemanha, a cor dominante é o verde. A tradição é tão forte que a Quinta-feira Santa é conhecida por Quinta-feira Verde. Na Bulgária, em vez de se esconder os ovos, luta-se com eles na mão. Há verdadeiras batalhas campais. Toda a gente tem de carregar um ovo e quem conseguir a proeza de o manter intacto até ao fim será o mais bem sucedido da família até à próxima Páscoa.

    Ovo de Páscoa:

    😀

  6. vanessa94 said

    Queria dar aqui uma ideia de trabalho. Podiam ver as origens das amêndoas de Páscoa.
    Espero que o grupo não se importe, de ter dado esta ideia.

    Fiquem bem😉

  7. Ritakau said

    Post interessante :b

    Grupo, decidi fazer o meu trabalho sobre a história da Páscoa:

    A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo.
    Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado num sepulcro, onde permaneceu, até à sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. É a data mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam nas cerimónias religiosas.
    Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica.
    É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egipto durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a “passagem” de Cristo, da morte para a vida.
    No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.
    A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes. A origem do símbolo do coelho vem do facto de que os coelhos são notáveis pela sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade!

    O dia da Páscoa é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre no dia ou depois de 21 Março (a data do equinócio). Entretanto, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas.

    A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa, e portanto a Terça-Feira de Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa. Esse é o período da Quaresma, que começa na quarta-feira de cinzas. Com esta definição, a data da Páscoa pode ser determinada sem grande conhecimento astronómico. Mas a sequência de datas varia de ano para ano, sendo no mínimo em 22 de Março e no máximo em 24 de Abril, transformando a Páscoa numa festa “móvel”.

    Espero que gostem😀

  8. Andreia Fileno said

    Rui, vou ficar pelo pão-de-ló.😛

    Post interessante. Mais tarde irei colocar a minha pesquisa.🙂

  9. Andreia Fileno said

    Decidi seguir o conselho da Vanessa e, fazer uma pesquisa sobre as amêndoas.😉

    Encontrei esta informação:
    A amêndoa é hoje um dos símbolos da festa pascal.
    Este fruto seco pode também significar folar (uma outra tradição desta época). Assim, em vez de dar ou receber o folar, dá-se ou recebe-se amêndoas.
    No caso do cristianismo esse fruto simboliza Jesus, porque a sua natureza divina está “escondida” pela sua natureza humana.

    Não encontrei muito mais, a não ser receitas e mais receitas.😀

  10. elsapinto said

    Sim pão-de-ló claro mas confesso que é raro comer em dias festivos, só como quando as festas acabam que é quando me apetece x) ahahahah, é para ser diferente da família😀

  11. Ritakau said

    Concordo contigo Elsa! O pão-de-ló só é bom, fora das épocas festivas! xD

  12. Dianacorreia said

    No inicio as primeiras fatias até sabem bem (e então quentinho ainda é melhor!)🙂

    Mas depois é como vocês dizem começa mesmo a enjoar e não apetece comer mais!
    😉

  13. elsapinto said

    Ó Diana, até pode ser bom mas quente quente mesmo quentinho só o pão fresquinho😀 (não tem nada haver com a páscoa mas coisas quentes e frescas só gosto do pãozinho )😀

  14. Andreia Fileno said

    É só o pão-de-ló.😛
    Mas concordo com a Diana Patrícia.😉

  15. Márcia Daniela said

    Bom, o meu trabalho e sobre o CORDEIRO, que é habitual comer-mos na Páscoa!🙂

    Aqui vai:
    O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa, é o símbolo da aliança feita entre deus e o povo judeu na páscoa da antiga lei. No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egipto. Assim o povo de Israel celebrava a libertação e a aliança de Deus com seu povo.
    Moisés, escolhido por Deus para libertar o povo judeu da escravidão dos faraós, comemorou a passagem para a liberdade, imolando um cordeiro.

    Para os cristãos, o cordeiro é o próprio Jesus, Cordeiro de Deus, que foi sacrificado na cruz pelos nossos pecados, e cujo sangue nos redimiu: “morrendo, destruiu nossa morte, e ressuscitando, restituiu-nos a vida”.
    😛

  16. Márcia Daniela said

    Quanto aquilo do pão-de-ló, tenho a dizer que adoro, não me farto e comer pão-de-ló, amêndoas,…
    Na terça-feira não sei se entro no portão da escola! (ironia)

    🙂 😛 😉

  17. Dianacorreia said

    não te preocupes Márcia, ainda tens que engordar muuuitos quilos para não passares pelo portão!!!
    lol😉

  18. Andreia Fileno said

    Oh, isso sim, o portão é muito largo portanto acho que vais passar e bem!😀

  19. Márcia Daniela said

    Pois, se calhar exagerei um pouco!😉

    Espero que tenham todos uma boa Páscoa!

    🙂 😉 😛

  20. mariana16 said

    Olá! Boas Páscoa a todos.

    Gosto de pão-de-ló mas prefiro quente, depois de frio já não vai lá muito bem.

    Daqui a pouco cá virei colocar o meu trabalho e será sobre a campainha ou sino (como quiserem).

  21. mariana16 said

    Peço desculpa a todos mas vou fazer o meu trabalho sobre o compasso. (Não encontrei nada sobre a campainha).🙂

    Sorry

  22. mariana16 said

    Aqui vai.

    “Visita Pascal” ou “Compasso” que também se diz “abrir a porta à Cruz”. É o compasso pascal, a forma como a festa é vivida nas aldeias. Geralmente o compasso é constituído por 5 pessoas: um senhor com a cruz, um senhor com a caldeira, um rapaz (ou rapariga) com a sineta, um seminarista e um senhor que recolhe o dinheiro. Geralmente têm todos vestido uma bata vermelha.
    Entre muitos povos mantém-se o costume de enterrar nos campos ovos que se acredita servirem de estímulo ao nascimento dos vegetais e que constituem invariavelmente divertimento ao rapazio que se entretém à sua procura. Entre nós, preserva-se o costume de comer ovos que recheiam o tradicional folar e ainda aqueles fabricados em chocolate que a indústria se encarregou de promover. E muitas terras, as pessoas tem o costume de fazer tapetes de flores para receberem a cruz em casa.

    Segue-se um site com um poema sobre o “compasso pascal”.
    http://www.frassinomachado.net/visualizar.php?idt=323589

  23. mariana16 said

    e muitas terras – em muitas terras

  24. leticia said

    Bem como já colocaram os sugeridos pelos dinamizadores, optei por falar sobre “Algumas delícias da Páscoa”.

    A Páscoa é uma época de festa e alegria com muita simbologia e tradições. Entre os símbolos religiosos mais conhecidos estão a Cruz da Ressureição, que representa o sofrimento e a ressurreição de Jesus Cristo, o cordeiro que simboliza o Cristo sacrificado em prol de toda a humanidade, o pão e o vinho representam o corpo e o sangue de Jesus e o círio, uma vela de grande dimensão que simboliza a luz dos povos.
    Mas esta celebração tem outras conotações associadas e criadas há muito tempo como os ovos ou o coelhinho da Páscoa. Neste caso os ovos representam uma vida renovada através das suas cores e os coelhinhos representam a fertilidade. As múltiplas cores que os ovos adquirem e as amêndoas de vários sabores e cores fazem as delícias dos mais novos e adoçam a boca aos mais velhos. Claro que não são apenas os ovos, as amêndoas e os coelhos que fazem parte da imagem da Páscoa. Os bolos da Páscoa, também conhecidos por “folar” marcam uma presença constante durante esta quadra. E para o almoço de Domingo, dia 23, a escolha recai muitas vezes sobre o borrego ou o cabrito, típicos da região de Lafões, numa mesa repleta de familiares que se juntam para celebrar a Páscoa.
    As amêndoas são um símbolo da Páscoa por serem parecidas com pequenos ovos.

    Fiquem bem!
    Boa Páscoa para todos!😉

  25. Ritakau said

    Boa Páscoa a todos :b

    Ó Márcia, tu és magríssima! Por muito que comas, vais passar sempre na porta!

  26. Ritakau said

    Gostava que as pessoas da meu turno, me esclarecessem, se a correcção do teste de Físico-Química, é para fazer?

  27. Andreia Fileno said

    Boa Páscoa a todos.😉

  28. vanessa94 said

    Rita, eu penso que sim, porque nós na altura não fizemos, porque a Diana Catarina estava a fazer teste connosco. Mas depois o outro turno fez a correcção.
    Portanto penso que seja para fazer!

    Espero ter exclarecido.😛

  29. mariana16 said

    Eu acho que sim Rita. Justifica-se com aquilo que a Vanessa disse.

  30. Márcia Daniela said

    Atenção que eu estava a brincar quando disse que não ia passar no portão! 🙂

    Boa Páscoa a todos! 😛

  31. Ritakau said

    Obrigado pelo esclarecimento meninas😛

    Espero que tenham tido uma Boa Páscoa😀

  32. EvaSousa said

    Bem, há tanto tempo !
    Queria esclarecer que não tenho podido vir aqui ao blogue porque neste momento estou sem computador !
    Teve uma pequena avaria !
    😛

  33. Pricunha said

    Olá meninas … e meninos😛

    Tenho a dizer que concordo com o primeiro comentário da Elsa! Acho que estão a ir muito depressa com os trabalhos pois nem toda a gente tem possibilidade de visitar o blogue durante as férias. 😐

    Mas, como trabalho, pesquisei uma lenda sobre a Páscoa. Aqui vai:

    Sentado na beira da calçada, com um ovo de chocolate pequenino nas mãos, olhar sério, aquele menino se pôs a imaginar. Havia muitas coisas que ele não entendia, por mais que tentasse.
    Durante a semana toda, na escola, na rua, em casa, em todos os lugares só se ouvia falar de Páscoa, coelhinho e ovos de chocolate. A professora até colocou Jesus no meio da história, mas só aumentou a sua confusão; ele não conseguia organizar o pensamento. Jesus não é aquele que nasceu no Natal? Faz tão pouquinho tempo, e ele já morreu??!!
    Não, decididamente ele não entendia nada. Não sabia exactamente o que uma coisa tinha a ver com a outra. Afinal de contas, por que comemorar, se Jesus morreu? Por que os ovos são de chocolate? E o coelho, o que ele faz nessa história?
    Complicaaadooo!!!! Separava somente as coisas que entendia, e sabia o que era.
    Entendia que estava esperando ganhar um ovo bem grande, daqueles que tinha visto na televisão, embrulhado num papel brilhante e com um laço de fita vermelha, que não veio, e ele sabia por quê: o dinheiro não deu.
    Ele sabia. Nem seu pai e nem sua mãe tinham prometido dar-lhe um ovo de Páscoa; e ele sabia, também, que o coelhinho não o trazia para ninguém. Então, como é que ele poderia satisfazer a sua vontade de comer chocolate? Como ia passar o domingo de Páscoa sem comer ovo de Páscoa? E a ideia veio assim, de repente!!! Por que não???
    Foi até o primeiro semáforo daquela movimentada avenida e, quando o sinal ficava vermelho ele se lançava entre os carros e ia pedindo:

    “Moço, dá um ovo de Páscoa pra mim?”
    “Senhor, poderia me dar um ovo de Páscoa?”
    “Moça, dá um ovo de chocolate pra mim?”

    Assim, ia pedindo e ouvindo as mais esfarrapadas respostas, quando alguém respondia.
    Até que, enfim, parou um carro velho, todo manchado de ferrugem. Dentro, um homem com cara de bravo… ele tomou coragem, foi até lá e arriscou o mesmo pedido:

    “Moço, eu quero um ovo de Páscoa”.

    E qual não foi sua surpresa quando aquele homem pegou, no banco do passageiro, um embrulhinho e lho estendeu pelo vidro.

    “Brigado, moço!!!”

    E saiu em disparada.
    De volta à sua calçada, ele olhou o ovinho e sorriu feliz. Afinal, agora ele comemoraria a Páscoa.

    Espero que gostem!😉
    Beijinho

  34. Pricunha said

    Peço desculpa, mas como o computador empancou quando eu estava a fazer o comentário a cima, nas primeiras 15 linhas da Lenda, deveriam aparecer os parágrafos. =(

    Desculpem!

  35. Saramoreira said

    Rita, afinal não foi preciso a correcção para hoje!
    🙂

    Mas aposto que a Tininha ainda vai perguntar por ela!
    🙂

  36. Ritakau said

    A Tininha disse que a faríamos numa aula de Área de Projecto😀

  37. leticia said

    Sim, mas acho que ninguém se esqueceu de fazer.😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: