As letras do 9ºD

Blog dos alunos do 9ºD da Escola EB 2/3 de Penafiel N.º2

Trabalho de Pares

Posted by Vanessa Pereira em Janeiro 21, 2009

Viva a todos! 🙂

Aqui vai um pequeno trabalhinho de pares!

Em trabalho de grupo, conclui o conto “Um Velho em Arzila” que se encontra na página 76 do manual iniciado, desenvolvendo-se o diálogo travado entre as duas personagens e construindo-se uma conclusão.

um-velho-em-arzilaBons trabalhos !

Diana Catarina, Diana Patrícia, Márcia, Vanessa 😉

47 Respostas to “Trabalho de Pares”

  1. elsapinto said

    Primeira a comentar😀
    Bem, tem de ser mesmo a pares? É que gostava de fazer sozinha porque quem quer fazer comigo praticamente não faz nada, e mais vale eu fazer sozinha.
    Posso ?😀

  2. EvaSousa said

    Não sou do grupo, portanto não sei muito bem, mas acho que não tem de ser obrigatoriamente com o colega que está contigo nas aulas !

    Logo que seja com outra pessoa, não interessa quem !

    Acho eu !😛

  3. mariana16 said

    Eu também acho que não!
    Tenho a sorte de Andreia trabalhar.

    Senhoras administradoras, agradeço que quando publicarem mais um post destes digam se há prazo de entrega pois, estar sempre a perguntar não é muito agradável!

    Obrigada

  4. Andreia Fileno said

    Concordo com a Mariana, deviam de ter atenção a isso até porque assim não sei se é para entregar amanhã na aula ou se há algum prazo.

    Sim Mariana, eu trabalho.😛

  5. elsapinto said

    Mas eu não acusei ninguém meninas, portanto não tirem conclusões😀
    Eu apenas quero fazer o trabalho sozinha, se me deixarem claro😀

  6. sara26leal said

    Não tenho razão de queixa quanto a isso de trabalhos de grupo.

    a Marta é uma boa parceira!

    hehehe😉

  7. vanessa94 said

    Olá a todos !

    Elsa: O trabalho poderá ser feito sozinha .
    Mariana: Desculpem , lá não ter dito o prazo , falta de atenção.
    O prazo é até sexta-feira.

    Fiquem bem xD

  8. Leticia said

    Ainda bem que disses-te o dia do prazo de entrega. Obrigada Vanessa.
    Oh Sara acho que não sei se ela é uma boa parceira! LoOl Eu estava a brincar menina Marta.:P

    Eu espero que saiam bons trabalhos!

    Fiquem bem!🙂

  9. sara26leal said

    Leticia, se eu não fosse a ti não duvidava da minha palavra!

    tens que passar uma aula com ela e no fim tiravas conclusões e dizias-me algo!

    é bom que estejas a brincar porque eu também estou!
    🙂

  10. Leticia said

    LoOl. Eu o ano passado era á beira dela em matemática e ela era uma boa parceira!😛

  11. RitaKau said

    Olá !
    As meninas estão a fazer uma boa dinamização do Blogue,apesar de eu ter uma pequena coisa a dizer-vos …

    Digo-vos já que farei a finalização do conto com a Evinha :DDD

  12. Márcia Daniela said

    Espero que apareçam aqui bons trabalhos, têm até sexta-feira para o fazer🙂

    Estou muito curiosa para ver até onde vai a vossa imaginação!

    Bons trabalhos😛

  13. EvaSousa said

    Pois é, eu vou fazer com a Rita !!

    😉

  14. elsapinto said

    Fiquei esclarecida😀

  15. martasilva said

    Então meninas Saruh e Letícia, andam a falar de mim?🙂

    Pelo menos já vi que falam bem, se sou boa parceira ou não!😛

    Agora fiquei feliz!

    Mas desta vez vou fazer com a Filipa😉

  16. José Ferreira said

    Olá!
    Penso que este post será para colocarem a continuação da história, indicada como tarefa pelo grupo que está a dinamizar o blogue, certo?
    Reparem que já vamos no comentário n.º16 e ainda não apareceu nenhum final de história.🙂
    Por isso, por uma questão de organização e leitura, sugiro que estes comentários (onde predomina a função fática🙂 ) se fizessem noutros posts, digo eu.

  17. filipasp said

    Olá.
    Meninas só queria pedir se podiam adiar o prazo de entrega porque nós temos teste sexta-feira e por isso não tenho muito tempo para fazer aqui o texto. Eu sei que já é outro grupo (por acaso até é o meu grupo)mas arranjamos uma solução. Eu estou para aqui a tentar fazer o meu texto mas a pensar no teste. Não dá mesmo para darem um prazo maior, pelo menos até segunda.feira que assim nós temos o fim.de.semana?

    E professor, desculpe lá outra vez um comentário onde predomina a função fática.😀

  18. José Ferreira said

    Primeiro o teste, sim. O prazo fica até domingo às 00h00. Penso que as dinamizadoras também concordam.😉

  19. vanessa94 said

    Ok , então o prazo de entrega do trabalho fica até Domingo às 00h00 , como o professor referiu no comentário em cima !

    Fiquem bem😉

  20. mariana16 said

    Ainda bem que o prazo foi alargado. Sexta-feira é muito em cima e ainda por cima com teste.

    Fiquem bem.

  21. Andreia Fileno said

    Concordo com o novo prazo estaelecido, facilitara muito !😉

  22. EvaSousa said

    Acho que é facilitará, Andreia !

    Já agora estabelecido !!
    😛

  23. elsapinto said

    Ainda bem que é até Domingo😀

  24. andreiafil said

    Quanto ao estabelecerá foi erro meu😉
    Quanto ao facilitará…
    Eu estava indecisa de como se escrevia…
    Digamos que foi positivo pois só faltava o acento😛

  25. EvaSousa said

    Eu e a Rita já fizemos !!
    Agora é só ela passar para aqui !
    😉

  26. ruidaniel said

    Ainda bem que o prazo foi alargado, assim posso descansar.😛 Amanhã faço o trabalho. Vou fazer sozinho!
    🙂

  27. elsapinto said

    Bem, aqui vai o meu😀

    Depois do tal Homem repetir o que dizia, eu prestei atenção e sabia que o que ele transmitia era-me familiar. Continuei a ouví-lo e ele :
    -As armas e os barões assinalados…
    -Porque não continuas o resto? tenho a certeza que sabes. Disse-lhe num tom bastante envergonhado com medo que o pobre homem me fizesse algo.
    -As armas e os barões assinalados…
    Num instante, não sei como, parece que entrei dentro dele, senti que algo subira e sentira um grande orgulho mas não sabia o porqê. E nisto, digo continuando:
    -Que, da ocidental praia lusitana, por mares nunca dantes navegados…
    O Homem cala-se, olha para mim com um olhar de que como estivesse satisfeito no que acabara de ouvir e apenas disse:
    – Muita gente pode saber mais que estes versos, mas pouca gente o sabe sentir, pois, eu estive lá, pois eu sei o que vivi, o que contei e o que passei e é disso que deves ter orgulho. Não só do meu trabalho mas pela pátria.
    Eu fiquei bastante admirado! Nunca me passara pela cabeça que um Homem que não transmitia essa forma de falar que fosse tão honesto.
    O Homem para parar com a conversa continuou os versos e numa dada altura repetimos:
    -A fama das vitórias que tiveram; que eu canto o peito ilustre lusitano…
    Aí, ele pegou num ramo dum arbustro e levanta-o dizendo:
    – Um Homem tão sábio, tão lutador, vindo de uma família pobre, como é tão importante para o nosso povo…o tempo passa e ele cada vez é mais falado, não só pelo que fez pelos lusitanos mas também pela sua Vida…ai pobre poeta luso…

    Uma tarde bem passada numa torre com um simples homem a escutar outro e a sentir o orgulho que todos nós deveríamos sentir.

    Espero que tenham gostado😀

  28. ruidaniel said

    Elsa

    Tiveste a mesma ideia que eu em continuar a estrofe. Mas acho que o meu trabalho vai ficar diferente.🙂

  29. elsapinto said

    Assério Rui ?😀
    Troca de pensamentos, hein?
    Não foi por mal Rui.

  30. mariana16 said

    Elsa, esse teu português está muito mau!
    Erros: “Assério” – “a sério”
    “porqê” – “porquê”

    O meu trabalho está diferente do teu mas, também continua verso! E a ideia é parecida. Eu não vi pelo teu trabalho pois, eu e a Andreia fizemos-o ontem, na substituição de Ciências! Atenção: Nós não copiamos.

    A minha parceira já o deve cá pôr!

    Fiquem bem.

  31. elsapinto said

    Erros cometemos todos nós Mariana😀
    Sim sim , e eu não v ou dizer que copiaram meninas (:
    O trabalho é vosso e vocês é que sabem o que fazem :p

  32. martasilva said

    Um velho em Arzila


    – Passa-se alguma coisa senhor? Sente-se bem?
    Não obtive resposta.
    – Bem, vejo que gosta d’Os Lusíadas. Luís de Camões foi um dos bons, hã?
    – As armas e os barões assinalados, as armas e os barões assinalados – continuou ele.
    – Bem, então eu continuo por si:

    As armas e os barões assinalados
    Que, da ocidental praia lusitana,
    Por mares nunca dantes navegados,
    Passaram ainda além da Taprobana,
    Em perigos e guerras esforçados,
    Mais do que prometia a força humana,
    E entre gente remota edificaram
    Novo Reino, que tanto sublimaram.

    Quando acabei tinha finalmente a sua atenção posta em mim, estava sereno, sem expressão. Depois de um longo silêncio acabou por dizer:
    – Porque veio ter comigo?
    – Chamou a minha atenção – disse, um pouco perplexo – Porque pergunta?
    Continuava sem expressão, e olhava-me fixamente.
    – Ninguém vem ter comigo. Ninguém pergunta se me sinto bem… Ou sequer se aproxima.
    Olhou em volta para as pessoas na rua e segui-lhe o olhar. Depois perguntei:
    – Porque repete incessantemente esse verso, que tem ele de especial?
    – Não tem nada. – Disse ele, como se despreocupado.
    Olhei-o desconfiado, mas decidi mudar de assunto.
    – Então o que anda a fazer por aqui?
    – Nada, vagueio, vejo as pessoas a passar. Andam depressa como se o mundo fosse acabar, nem olham para o que se passa à sua volta. Dantes nada disto era assim…
    – Agora ninguém tem tempo para olhar o que passa à sua volta.
    Demorou um pouco, mas uns segundos depois acabou por dizer:
    – Mas o senhor teve.
    – Porque diz isso? – Perguntei, intrigado.
    – Então, porque parou para vir ter com um simples velho sentado à porta de uma torre. Como ninguém desde há muito tempo, parou e veio ouvir a minha oração.
    Ponderei na minha resposta mas resolvi dizê-la, hesitante:
    – Não, não parei por um simples velho sentado à porta de uma torre, para ouvir a sua oração. Parei por um homem ilustre sentado à porta de uma torre, para ouvir todos os seus feitos guerreiros.
    Fez-se silêncio. Esperei por uma resposta mas não a obtive. Depois continuei:
    – Parei, porque homens insignes devem-se venerar como a Luís de Camões.
    Levantei-me e segui o meu caminho sem olhar para trás.

  33. martasilva said

    Elaorado por:
    Marta nº17
    Filipa nº12

  34. Andreia Fileno said

    Aqui vai o meu trabalho e da Mariana:

    Continuava a tentar falar com o velho mas, ele, repetia insistentemente o mesmo verso:
    -As armas e os barões assinalados…
    Até que lhe toquei no ombro e, este, dirigiu-me o olhar mas, continuou a dizer o mesmo verso até que, alguns segundos depois parou. Então que resolvi continuar:
    -Que da ocidental praia lusitana,
    Por mares nunca navegados,
    Passaram ainda mais além da Taprobana,
    Em perigos e guerras esforçados,
    Mais do que prometia a força humana,
    E entre gente remota edificaram
    Novo reino, que tanto sublimaram;
    O velho ao presenciar tal coisa continuou em coro comigo, citando o que faltava da Proprosição d”Os Lusíadas”:
    -E também as memórias gloriosas
    Daqueles reis que foram dilatando
    A Fé, o Império, e as terras viciosas
    De África e de Ásia andaram devastando;
    E aqueles que por obras valerosas
    Se vão da lei da Morte libertando
    -Cantando espalharei por toda a parte,
    Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

    Cessem do sábio grego e troiano
    As navegações grandes que fizeram;
    Cale-se de Alexandro e de Trajano
    A fama das vitórias que tiveram;
    Que eu canto o peito ilustre lusitano
    A quem Neptuno e Marte obedeceram,
    Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
    Que outro valor mais alto se levanta.
    Fiquei maravilhado, só aí percebi que, este velho que citava “Os Lusíadas” era Aquele que um dia viveu esses feitos históricos. Era Aquele que um dia contribuiu para os grandes feitos heróicos portugueses. Conclui assim que repetia insistentemente o primeiro verso d”Os Lusíadas” pois, esperava que alguém o continuasse. Assim seria o sinal de que o objectivo de Luís de Camões tinha sido conxretizado.
    O senhor, ao perceber o meu raciocínio, exclamou:
    -Muito bem, rapaz!

    Espero que gostem😛

  35. mariana16 said

    Andreia esqueceste-te:
    Andreia Nº3
    Mariana Nº16

    Ainda bem que pensas assim Elsa!

  36. Andreia Fileno said

    Eu no início pus os nossos nomes !
    Olha repara…

  37. Andreia Fileno said

    Gostei muito dos trabalhos anteriores😉

  38. mariana16 said

    Pois… não reparei!

    Sorry🙂

  39. RitaKau said

    Olá!
    Desculpem não ter posto aqui o trabalho mais cedo, ams estou doente, e portanto não é muito fácil sair da cama e vir para o computador😦

    Mas aqui vai o trabalho:
    – Meu senhor estou a tentar falar consigo!
    – As armas e os barões assinalados, as armas e os barões assinalados …
    – Desculpe, está a gozar comigo?!
    – Meu filho, “Os Lusíadas” são a alma do povo lusitano!
    – Porquê, senhor?
    – Você, não sabe?
    – Não!
    – Nem diga que é português. Qualquer pessoa que se diz lusitana conhece a grandiosidade d’ “Os Lusíadas”!
    E iniciaram assim uma grande discussão sobre a obra e vida do poeta.
    – Meu senhor, já percebi que sou ignorante em relação a Camões. Peço-lhe perdão por isso, e peço também que me explique a importância da obra.
    – Meu rapaz, Camões foi um poeta que viveu no séc. XVI, e assim escreveu “Os Lusíadas”, uma obra que retrata os Descobrimentos Portugueses.
    – Então Camões teve a oportunidade de viver numa época de prosperidade económica e cultural?
    – Exactamente! Camões até tinha a fama de ser uma gastador compulsivo!
    – Meu senhor, estou a gostar muito da nossa conversa, mas na verdade estou a ficar atrasado para a aula de português.
    – Então vai lá, não quero que tenhas falta! Adeus! As armas e os barões assinalados!

    O rapaz chega à aula, e o professor apresenta-lhes a Proposição d’ ”Os Lusíadas”. Este levanta-se e diz:
    – As armas e os barões assinalados!

    Elaborado por:
    Eva nº10
    Rita nº21

  40. Andreia Fileno said

    Não tem problema Mariana😉

  41. ruidaniel said

    Aqui vai o meu trabalho:🙂

    -Boa tarde! – repeti eu
    – As armas e os barões assinalados, as armas e os barões assinalados – disse ele novamente.
    Parecia que ele tinha engolido um CD.
    Fiquei uns minutos a olhá-lo, a observá-lo e continuamos neste diálogo estranho durante uns 15 minutos. De repente, lembrei-me de uma coisa e resolvi experimentar. Primeiro disse-lhe boa tarde. Como já era de esperar, respondeu: As armas e os barões assinalados, as armas e os barões assinalados.
    – Que, da ocidental praia lusitana. – disse eu.
    O velho olhou para mim com aqueles olhos azuis que me lembravam exactamente o mar. Levantou-se, deu-me um grande abraço e foi-se embora a dizer: Que, da ocidental praia lusitana. Eu fiquei especado a vê-lo ir-se embora. Reparei que entrou num café. Fui-me embora com um sorriso na boca e a pensar que de alguma forma tinha feito o velho feliz por breves momentos.
    A imagem desse velhote acompanhou-me por muitos dias. Resolvi então ir ao mesmo local para o encontrar. Lá estava ele a repetir não o primeiro verso, mas sim o verso que eu lhe disse: Que, da ocidental praia lusitana. Disse-lhe boa tarde e ele lá repetiu o segundo verso. Pareceu-me que estava bloqueado e que se eu lhe dissesse o terceiro verso ele começaria a repeti-lo. Pedi que esperasse por mim e fui à livraria mais próxima. Comprei os Lusíadas. Voltei ao mesmo local e ofereci-lhe de prenda. Olhou para mim com aqueles olhos cor de mar e começou a lê-lo de forma estranha, como se fosse a última coisa que estivesse a fazer na vida. Deixei-o ali e fui-me embora. Voltei passados uns dias e ele ali estava à minha espera. Sentei-me ao lado dele e perguntei-lhe:
    – Já leu o livro que lhe dei?
    – Já o li três vezes e estou aqui à sua espera para lhe agradecer. Graças a si pude reler os versos que escrevi.
    Fiquei a olhar para ele sem perceber nada. Definitivamente o velho não batia bem da cabeça! Ou será que era eu?! Resolvi não continuar com o diálogo e fui-me embora. Nunca mais o vi! Até hoje não sei bem se tudo aquilo aconteceu realmente, mas confesso que depois disso já li os Lusíadas umas 4 vezes.

    Rui Daniel nº 22

    Espero que tenham gostado! Deu-me um trabalhão!😛

  42. Márcia Daniela said

    Muito bem, estão todos de parabéns pelo bom trabalho que fizeram, está realmente muito bom🙂

    Rui Daniel, o trabalhão que tiveste valeu a pena, porque está muito bom😉

  43. Andreia Fileno said

    Os trabalhos maus não me parecem…
    Aliás estão todos muito bons🙂 Eu acho…

    Parece-me é que são poucos😦

  44. EvaSousa said

    Pois Andreia, só estão aqui 5 trabalhos !!
    😛

  45. Márcia Daniela said

    Vamos ver se aparecem mais alguns, pode ser que alguém passa por cá😛

  46. Andreia Fileno said

    Pelos vistos ainda mais ninguém passou por aqui.
    Nem metade fez o trabalho, quer dizer, pelo menos não o colocou aqui… que mau :S

  47. vanessa94 said

    Olá !
    Gostei bastante de todas as composições.
    E também reparei que nem metade da turma fez o trabalho . 😦

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: