As letras do 9ºD

Blog dos alunos do 9ºD da Escola EB 2/3 de Penafiel N.º2

Escrever: trabalho de pares

Posted by José Ferreira em Outubro 19, 2008

Vivam!

Próxima actividade.🙂

Em trabalho de pares, serão imaginados e escritos diálogos entre o Onzeneiro e uma moeda muito valiosa.

Os diálogos produzidos serão apresentados à turma através de um comentário a este post. É caso para dizer: venha daí essa criatividade.😀

Propunha a sua realização durante esta semana, ou seja, até sexta-feira, dia 24.

onzeneiro3

Nota: Podem consultar mais sobre esta actividade na página 34 do manual.

Bons diálogos!😉

31 Respostas to “Escrever: trabalho de pares”

  1. dianacatarina said

    Conta a lenda que um Onzeneiro, malicioso, ganâncioso e malfeitor passeava pelas ruas de Machim quando nos seus olhos reluziu um brilho dourado. Este recolheceu logo esse brilho, era a coisa que ele mais adora, uma moeda cintilante!Sem que ninguém reparara-se meteu-a no seu bolsão. Quando chegou a casa
    sentou-se na sua poltrona e tirou a moeda do seu bolsão, olhando–a. O onzeneiro estava extasiado com a sua beleza. Nunca tinha visto uma moeda igual! De repente, ouviu um zombido:
    -Queres-me!?Queres-me!? Tu nunca me irás ter!És ganâncioso, soberbo, perverso, endiabrado e interesseiro para com as pessoas.
    -Será que estou tolo!? Uma simples e réles moeda a criticar-me!
    – Ninguém critica a minha vida, muito uma moeda. Eu continuarei a cobrar os meus juros e irei tornar-me a pessoa mais rica do mundo.
    A moeda era mágica e fez desaparecer todo o dinheiro do Onzeneiro, assim este ficou pobre não podendo emprestar nem cobrara juros a mais ninguém.

    Trabalho realizado por:-Diana Pinto nº7
    -Diana Correia nº8

  2. elsapinto said

    Numa aula de Português, o professor dioalogava com os alunos sobre o Auto Da Barca Do Inferno, e, no momento em que falou do Onzeneiro, este aparece-lhe no ombro depois de um “Puuufff” e falou-lhe do dinheiro que ele lhe devia. Naquele instante, o professor ficou bastante nervoso, envergonhado e gago que nem conseguiu continuar com a aula.
    Como o professor só tinha uma moeda no bolso, o Onzeneiro venerava-a muito por ser valiosa e como o professor queria continuar a sua aula acabou por lha dar.
    No Inferno , o Onzeneiro diz à moeda :
    – Ahahahah! Eu consigo sempre tudo que esteja relacionado com dinheiro. Até no Inferno tenho vantagens.
    -Tu aqui não precisas de mim, não podes pecar mais porque sofres mais consequências!- disse lhe a moeda valiosa.
    -Eu peco é se não tiver as minhas moedas que estão guardadas e tu és mais uma especial que ficará comigo! Ahahahahah !
    O Onzeneiro ficou com aquela moeda e outras que tinha escondido. Mais tarde, o Diabo veio a descobrir e mandou-o como castigo para o último andar do Inferno onde foi sacrificado !

    Feito por : Elsa e Rui Pedro do 9ºD

  3. vanessa94 said

    Num dia como todos os outros, mas especial porque era dia de cobranças o Onzeneiro teve uma vontade súbita de ir à retrete , e com ele levou o livro de cobranças.
    Sentou-se e pum, caíu à sanita.
    Caiu num buraco muito escuro, sujo, mal cheiroso e cheiode bichos nojentos, chamado esgotos.
    O Onzeneiro ia caminhando quando ao fundo do buraco viu uma luz brilhante, foi-se aproximando e viu caída no chão uma moeda muito valiosa. E começaram ambos a dialogar:
    – Tu não és uma das minhas moedas?
    -Eu?! Eu não! E tu quem és?
    – Eu chamo-me Onzeneiro, sou a pessoa mais rica da Terra e tenho milhões de milhões de moedas como tu no meu bolsão, sou uma pessoa muito bondosa porque empresto dinheiro a todos os que necessitam. E tu não queres fazer parte dos meus milhões de moedas?
    – E tu és assim tão bondoso como dizes? Não cobras juros nem nada?
    – Eu não! Sou muito bondoso tal como te disse.
    – Além de seres ambicioso, ganancioso, explorador dos que necessitam, também és mentiroso!
    – Como é que sabes tanto sobre mim?
    – Eu sou uma das tuas moedas, tão valiosa como dizes.
    -Caí neste buraco imundo, quando vieste á retrete. E não quero pertencer aos teus milhões de moedas, porque já pertenci e não quero aumentar a tua ambição.
    O Onzeneiro foi desanimado para casa, sabendo que tinha uma das suas moedas e que não a ia voltar a ter novamente.
    Ao longo dos tempos, o Onzeneiro foi perdendo as moedas todas e achou justo ir para o Inferno.

    Esperemos que gostem!!
    Elaborado por:
    Márcia nº15 9ºD
    Vanessa nº28 9ºD

  4. cou94 said

    O Onzeneiro e a moeda:

    – Ó minha rica moeda, eu adoro dinheiro ainda bem que vieste parar ao meu bolso- diz o onzeneiro.
    – Detesto ir ter parado à tua mão, pois tu não és um homem digno de merecer uma moeda tão valiosa como eu sou- diz a moda.
    – Tu és mas é uma mal agradecida por de onde vieste tu verão muitas mais, pois eu irei receber muito mais de juros do que tu de cortesia- diz o onzeneiro.
    – A tua vida infinita não será boa!
    – Eu viverei sempre dos maiores louvores da sociedade- diz o onzeneiro.
    – Porquê? Por teres tirado dinheiro a famílias injustamente.
    – Eu não tirei dinheiro à sociedade pois só tirei o que era meu.
    – Onzeneiro só te tenho uma coisa a dizer que é: muda de vida porque lembra-te que um dia poderás morrer e a tua sorte não será tão grande quanto às famílias que tu cobras-te juros meramente injustamente.

    Trabalho realizado por:
    Bruno nº4 9ºd
    Fábio nº11 9ºd

  5. xerjiu12 said

    O Onzeneiro e uma moeda muito valiosa:

    O Onzeneiro ia na sua caminhada para casa depois de mais um dia de grandes lucros, quando de repente vê no chão a moeda mais valiosa que alguma vez vera, nisto diz-lhe:
    – Olha que linda moeda está aqui!
    Responde-lhe a moeda:
    – Sou, mas não vou ser tua!
    – Não vais? Porquê?
    – Porque tu não mereces! Cobras juros altíssimos às pessoas a quem emprestas dinheiro, mesmo aos mais pobres! Não mereces aquilo que tens!
    Pensando nisto, o Onzeneiro, continuava a sua viagem para casa.
    No dia seguinte volta a passar pela moeda e diz-lhe:
    – Não sei o que irei fazer à minha vida! Só ontem reparei o que tenho feito durante todos estes anos! – A minha vida vai ser diferente daqui para a frente, vou passar a ajudar as pessoas, principalmente os pobres!
    – Assim, sim! Já posso ser tua!
    E assim foram. O Onzeneiro passou a ser uma pessoa melhores e ficou rico

    TRABALHO REALIZADO POR:
    – Sérgio 9ºD nº27
    – Alcino 9ºD nº1

  6. ritakau said

    Estava o Onzeneiro dirigindo-se à Barca do Inferno, quando viu algo que brilhava no chão.

    Onzeneiro: Que coisa tão brilhante! Ah, é uma moeda !
    Moeda: Pois que sou moeda sei eu, e digo-te já, sou bastante valiosa.
    Onzeneiro: Agora cala-te, porque quero-te por no meu bolso.
    Moeda: Mas tu não penses que mandas em mim!
    Onzeneiro: Deves estar mal, olha que eu sei dar-te muita utilidade!
    Moeda: Mas eu não quero ficar contigo, seu maldito Onzeneiro.
    Onzeneiro: Vais-me ser útil para poder entrar para a Barca do Paraíso!
    Moeda: Não me digas que vais subornar o Anjo?!
    Onzeneiro: Por acaso… até penso fazê-lo!

    E o Onzeneiro pôs a moeda no seu bolso!

    Moeda: Olha que aqui detro está muito apertado! Estás a ficar gordo!
    Onzeneiro: Estou nada gordo, ainda fiz dieta a semana passada!

    Euquanto o Onzeneiro via se estava ou não gordo, a moeda escapuliu-se por um buraco do bolso e o Onzeneiro ficou sem moeda para poder subornar o Anjo e entrar na Barca do Paraíso!

    Eva, nº10
    Rita nº21

  7. andreiafil said

    Um dia, ia o Onzeneiro a caminho de casa, após mais uma das suas cobranças, quando encontrou uma moeda muito valiosa:

    Onzeneiro: Que rica moeda para o meu bolsão!
    Moeda: Para o teu bolsão ?! Deves de me estar a confundir com uma dúvida!
    Onzeneiro: Eu? Não! No meu bolsão apenas está o dinheiro que eu ganho.
    Moeda: Dinheiro esse que é sujo! Só vou para o teu bolsão se prometeres que nuna mais vais cobrar uma dívida cpm juros tão altos. No mínimo, têm de ser inferior a 5%.

    Após algum tempo a pensar, o Onzeneiro, finalmente, decidiu-se:
    – Eu aceito a tua proposta. Já que não vou viver muito mais tempo e tu és tão valiosa! Vales tanto qualqer outra cobrança que eu alguma vez tenha feito ou venha a fazer.

    Assim, o Ozeneiro continuou a ser Onzeneiro, mas por apelido e não por profissão.

    Fim!

    ELaborado por:
    – Andreia Fileno
    – Mariana Castro

    PS: Eu queria colocar no texto que o Onzeneiro passava a ser “Cinqueiro”, mas a Mariana não deixou!😀

  8. mariana16 said

    o Andreia era escusado teres posto um PS!

  9. anapinto94 said

    Como conta o texto “Auto da Barca do Inferno” o onzeneiro vivia explorando os mais desfavorecidos até que um dia encontrou alguém que lhe mudou a opinião.

    Andava ele a passear quando ouviu :
    – Psssst!
    O onzeneiro virou-se para ver de onde vinha este som e deparou-se com uma moeda.
    – Olha?! Sim, tu! Quando é que pensas em pagar a tua dívida?
    – Divída? Eu? Eu não tenho nenhuma divida! – respondeu o onzeneiro.
    – Á isso é que tens! Ou pensas que andar aí a cobrar onze vezes mais de juros não se paga? – disse a moeda.
    – E quem és tu para me poderes cobrar a divida?- respondeu o onzeneiro com ar desconfiado.
    -Então não se vê logo? Cara Coroada ao seu dispôr. Venho por meio do SDMV.
    – SDMV? Que é isso?
    – Serviço de Defesa de Moedas Valiosas. Criado para defender os direitos de moedas como eu. Não andas a ler jornais? – Disse a moeda em tom de ironia.
    – Não sabia da sua existência. Mas diga lá quanto é que eu ando a dever ao fisco?- respondeu o onzeneiro curioso.
    – Cento e cinquenta mil moedas valiosas. E agora se tu não pagares dentro do prazo vamos ter de ser nós a cobrar os juros da mesma forma que tu fazes. -respondeu a moeda por fim.

    A moeda valiosa acabou por se afastar saltando para o bolso de uma criança que passava ali perto. O onzeneiro também seguiu o seu caminho ainda perplexo pelo que se havia passado à breves momentos. Enquanto caminhava, foi relembrando a sua conversa com a misteriosa Cara Coroada e percebeu que a sua “profissão” lhe ficava demasiado cara. Aceitou repor a sua divida e resolveu ser Advogado do Serviço de Defesa de Moedas Valiosas.
    Espero que gostem!😀

    Trabalho realizado por:
    – Ana nº12 9ºD
    – Filipa nº12 9ºD

  10. anapinto94 said

    Ups!

    *Trabalho realizado por:
    -Ana nº2 9ºD
    -Filipa nº12 9ºD

    Enaganei-me:D

  11. pricunha said

    Depois de o Onzeneiro embarcar na Barca do Inferno, o Diabo pô-lo a remar até que, depois de muito o fazer, chegou ao Inferno, onde avistou uma moeda valiosíssima, de Ouro. E disse o Onzeneiro:
    – Anda cá que já vais ser minha!
    – Eu?! Nunca pertenci a ninguém e não é agora que vou passar a pertencer! – Disse a moeda.
    – Já vi que andas muito abandonada. Precisas que alguém te dê um pouco de afecto! – Disse o Onzeneiro.
    – Tenho andado muito só, mas assim sinto-me bem.
    – Podes confiar em mim. Já tomei conta de muitas outras e nenhuma se queixou.
    – Mas eu sou diferente, tomo bem conta de mim sozinha. Além disso, não vou pertencer a uma pessoa como tu, ambiciosa, gananciosa, exploradora e interesseira! – Disse a moeda.

    O Onzeneiro, mesmo depois dos insultos que ouviu da moeda, agarrou nela e colocou-a no bolso. Mas, no momento em que o fez, o Diabo disse-lhe:
    – Nunca obrigues ninguém a fazer o que não deseja!

    Neste momento o Onzeneiro pegou na moeda e colocou-a no mesmo sítio onde a avistou.

    Fim!

    Trabalho elaborado por:
    Letícia Nogueira nº14
    Priscila Cunha nº20

  12. martasilva said

    Certa manhã, o Onzeneiro levantou-se para mais um dia de cobrança de dívidas, como habitualmente. Na sua primeira cobrança conseguiu um saco repleto de moedas valiosas, entre as quais existia uma que estava suja e feia.
    – Oh! Que coisa é esta? Não quero moedas assim tão sujas! Ficarás no fundo do meu bolsão que não preciso de ti pata nada. – Exclamou o Onzeneiro.
    – Olha lá, sou tão valiosa como todas as outras! Não me subestimes, pois ainda vais precisar de mim. – Respondeu indignada a moeda.
    Passado algum tempo, o Onzeneiro ficou na miséria. E quando abriu o seu bolsão, a única moeda que lá encontrou foi essa que tanto tinha desprezado. Desgostoso começou a falar com a moeda:
    – Oh minha rica moeda! Que posso eu fazer… És a única moeda que me resta no bolsão que dantes estava cheio e que agora está tão vazio. És a minha moeda da sorte!
    – Mas é que nem penses nisso! Moeda da sorte nada! Quando não precisavas de mim desprezaste-me e agora que estás na miséria já me ligas?! – Resignou-se a moeda.
    Depois disso, a moeda foi-se embora e deixou o Onzeneiro perplexo. Este acabou por ficar tão pobre que acabou por deixar de ser Onzeneiro.

    Moral da História: Quem tudo quer tudo perde! 😀

    Elaborado por:
    Marta nº17
    Sara nº25

  13. andreiafil said

    Não Mariana! O PS está muito bem ali !😀

  14. martasilva said

    Upss !

    A Sara é o nº26..

    Desculpa sarinha! 😀

  15. Catarina Gomes said

    Humm… parece-me que as lições do Auto da Barca do Inferno estão a deixar a sua marca… o “pobre” do Onzeneiro não se safa com vocês😉

    Até agora as histórias estão muito interessantes. Fazem-me lembrar os contos populares😀

  16. evasousa said

    Pessoal, já podemos ser escritores!!😀

  17. mariana16 said

    Andreia nao venhas dizer que esta porque nao esta!

  18. andreiafil said

    Diálogo entre uma moeda e o onzeneiro:

    Depois do onzeneiro morrer e entrar na barca do inferno, teve um sonho muito estranho. Sonhou que vivera nos tempos de hoje…
    Pois bem no sonho dele tudo começava assim:
    Um dia o onzeneiro emprestou dinheiro a um mendigo, pois o pobre coitado não tinha sítio para dormir nem comida… Então o onzeneiro lá lhe emprestou o dinheiro e o mendigo respondeu:
    -Muito obrigado; tu foste a luz que iluminou o meu dia…olha para o próximo mês, no mesmo dia que é hoje, eu estarei aqui para te devolver o dinheiro, agora tenho de ir encher a pança, que está a dar horas. Adeus; até ao próximo mês e muito obrigado!
    O mendigo lá foi encher a pança, enquanto o onzeneiro ia andando e pensando para ele em voz alta:
    -Já cá canta mais um, tenho de acrescentar na minha agenda, não me posso esquecer de cobrar a este os meus ricos lindos 11%…
    O onzeneiro ia feliz da vida até que…de um momento pró outro começa a ouvir vozes, que diziam:
    -É precisa ter muita lata, sinceramente…só visto!
    O onzeneiro olha á sua volta mas não vê ninguém, então continua a andar e ouve outra vez:
    -É precisa ter mesmo muita lata, sinceramente…só visto! Eu posso ser pequena, mas sou diferente de todas as outras, sou bonita, brilhante, devias reparar em mim; não me comparo as outras pindéricas…
    … Até que de repente o onzeneiro olha para o chão e vê uma moeda; mas uma moeda diferente de todas as outras… Então diz para ele próprio:
    -Santo Deus uma moeda que fala?
    E a moeda responde:
    -Vais me dizer que só reparaste nisso agora. Já venho á um bom bocado atrás de ti, para te dizer umas verdades!
    -Aí sim! E que verdades são essas?
    O onzeneiro e a moeda sentaram-se no passeio da rua a falar.
    – Bem eu ouvi toda a tua conversa com o mendigo e não sei como é que tu tens a lata de lhe emprestares o dinheiro e depois, quando ele tiver o dinheiro que te deve, ainda lhe vais cobrar 11% de juros…Sabes perfeitamente que ele não tem essa possibilidade, se ele até hoje não teve dinheiro nem para uma boa dormida nem para comida, achas que vai ter os11% para te dar?
    -Não há problema eu dou-lhe mais um tempito para ele juntar os meus 11%…
    -Olha que tu! Sinceramente! Achas bem o que estás a fazer, imagina que eras tu quem estava no lugar do pobre mendigo!
    O onzeneiro para um pouco para pensar; até que diz para a moeda:
    -Tu tens razão; eu não devia estar a fazer isto, eu não gostava que alguém me fizesse o que eu estou a fazer…Desculpa…
    -Eu estarei a ouvir bem ? Tu estás a pedir desculpa e a dizer que eu tenho razão ?! Essa é boa! Ah ah ah ah!
    -Eu não estou a brincar; eu estou a falar muito sério!
    -A sério; bem agora é a minha vez de pedir desculpa!
    -E agora o que é que eu faço?
    Calam-se os dois…e o onzeneiro fica com uma lágrima a escorrer pela cara a baixo…
    Até que a moeda segreda algo ao ouvido do onzeneiro.
    Pois bem o onzeneiro e a moeda ficaram o dia e a noite toda a falar…
    No mesmo dia do seguinte mês á mesma hora, no mesmo local, lá aparece o mendigo como o combinado, e diz:
    -Olá!
    -Olha eu consegui o teu dinheiro, com muito custo mas consegui…
    E o onzeneiro diz:
    -Fica com o dinheiro, tu precisas mais dele do que eu…eu e aqui uma amiga minha tivemos uma ideia…
    E até que se ouve uma vozinha lá no fundo:
    -Hei hei a ideia foi só minha!
    -Calma não te zangues! Exclama o onzeneiro.
    -…Nos vamos-te levar a um banco, vamos depositar lá todo o dinheiro que tenho no meu bolsão e esse que tu tens na mão, vais ter a tua conta, o teu dinheiro; agora já vais poder ser uma pessoa feliz como todas as outras…
    Lá foram ao banco; quando saíram o mendigo disse:
    -Muito muito obrigado, nunca me vou esquecer do que fizeram por mim…
    E nesse instante o mendigo desapareceu…
    A moeda também estava a desaparecer, mas antes de desaparecer completamente o onzeneiro disse:
    -…Foste a luz que iluminou todo o meu ser e a minha vida; nunca me vou esquecer de ti AMIGA…
    -Nem eu de ti AMIGO…
    -Fazes-me lembrar… o anjo; que tinha toda a tua bondade…
    E a moeda responde:
    -Eu não pareço o anjo; EU SOU O ANJO!
    -Agora vais acordar do teu sonho e vais-te lembrar do que perdeste da vida e o que ganhavas se durante toda a tua vida fosses assim; bondoso, podes parecer mau mas lá no fundo, não o és…!
    Dizendo isto, a moeda/anjo desaparece e o onzeneiro acorda; levantando-se e olhando para a barca do anjo, pensando no seu sonho; até que o anjo lhe diz:
    -Olha para o teu bolsão!
    O onzeneiro olhou e reparou que todo o seu dinheiro, tinha desaparecido excepto uma coisa… uma coisa brilhante, bonita, diferente; a moeda que tanto lhe ensinou e que ele adorava.

    Trabalho elaborado por:
    – Mónica Nº18
    – Rute Nº24

  19. evasousa said

    Alto testamento!!!!!!!😉

  20. ferreirajoma said

    Olá!

    Não fizeram este trabalho, ou pelo menos não o colocaram no blog, os alunos números: 5,6,13,19,22 e 25.

    Confirmem por favor!🙂

  21. vanessa94 said

    Grande diálogo Mónica e Rute!!!😉

  22. vanessa94 said

    A vossa imaginação esticou-se um bocado, não?!

    lol😉

  23. ruidaniel said

    Um dia estava o Onzeneiro na humilde barraca de um pedinte a exigir-lhe dinheiro quando ele disse:
    – Não…não quero dar – hesita o pedinte.
    – Se não me deres aplico-te mais 20% de juros à hora! – exclama o Onzeneiro.
    – Não! Não! Isso não, por favor! Tenho 16 filhos para cuidar e não ganho muito nos meus peditórios.! – exclama desesperadamente o pedinte.
    – Então dá-me qualquer coisa, sei lá, um tapete, uma moeda…
    – É isso! Tenho aqui uma moeda que dá sorte, é do tempo de D. Afonso Henriques. Comigo é que não parece funcionar lá muito bem, espero que não esteja avariada.
    – Dá-me cá isso – grita o Onzeneiro. – O que é isto, queres matar-me, sufocar-me, isto cheira pior do que tu, e olha que não é todos os dias que se vê uma coisa dessas.
    – Olha lá, quem cheira mal aqui és tu estás a ouvir! – exclamou a moeda.
    – Disseste alguma coisa? – disse o Onzeneiro para o pedinte.
    – Não. Só se foram os meus filhos. Disseram alguma coisa meninos?
    – Não! – exclamaram 9 meninas e 7 rapazes.
    – Fui eu ó estúpido! – exclamou a moeda.
    – Ahhhh!!!! A moeda fa…fa…lou!! – disse o Onzeneiro espantado.
    – Sim, sim. Já tivemos longas conversas. Tem sido uma grande amiga nestes últimos anos, mas quando se zanga, zanga-se a sério. Vou ter saudades dela. – suspirou o pedinte.
    – Isto não é nada normal. – disse o Onzeneiro, pensando que estava a sonhar.
    – Quem não é normal aqui é o teu sentido de olfacto ó mau cheiroso! Não tens perfume em tua casa? Com tanto dinheiro é de estranhar. – disse a moeda.
    – Isto definitivamente não é nada normal.
    – Leva-a. Vais ver que a vais adorar, ela tem cada história! Dá-lhe um banho e …
    – Também tu!? – disse a moeda – Olha que eu tenho aqui ácaros com centenas de anos, têm um grande valor sentimental.
    – Pronto, pronto, tem calma, não te exaltes. – disse o pedinte.
    O Onzeneiro saiu a correr porta fora sem deixar a moeda e o pedinte despedirem-se:
    – Tu és a porta para a minha fortuna. Vou ganhar milhões quando te divulgar à comunidade.
    – Não vais fazer isso, pois se o fizeres, perco o meu dom de falar e de nada te servirei.
    – Não me vais dar a volta sua moeda tonta.
    – Ah isso é que vou. Pára aí um pouco que quero contar-te uma coisa.
    Depois do Onzeneiro sentar-se ao pé de um chafariz, a moeda contou-lhe que aquele pedinte era um Onzeneiro tal como ele, e que pela sua arrogância e avareza perdeu tudo o que tinha e anda por aí a pedir:
    – E daí? O que tenho a ver com isso?
    – Esta é a minha sina, acabar com os avarentos e já não podes voltar atrás porque a ti eu pertenço.
    A moeda conseguiu, depois de uma longa conversa, convencer o Onzeneiro que decidiu dar metade da sua fortuna a instituições de caridade.

    Elaborado por:
    Rui Gonçalves nº 22
    José Miguel nº 13

  24. ferreirajoma said

    Muito bem, Rui e Miguel, valeu a pena a espera.🙂

  25. filipasp said

    Óh stor, eu não sei se já estão aqui todos os trabalhos mas já podemos dizer qual é o que gostamos mais? E já agora, isso também é cada um ou os grupos de quem fez os trabalhos?

    Depois passo por cá para ver a sua resposta.
    Fiquem bem🙂

  26. sara26leal said

    Eu adoro escrever composições, mas não são composições..são grandes e grandes composições, porque gosto de das asas à imaginação e ela depois nunca mais me acaba.
    Na primária chegavam composições de 3 ou 4 folhas..;)
    Aqui no blog, não se aconselha muito composições grandes.

  27. sara26leal said

    bem..gosto muito da composição do Zé e do Rui Daniel.
    é uma história que dá uma lição de vida.:)

  28. ferreirajoma said

    Eis uma imagem original neste post!🙂

  29. sara26leal said

    Rita, todos nós já sabemos que és uma artista para o desenho………

    Masi uma vez os meus sinceros parabéns!!

  30. EvaSousa said

    Muito bem Rita, belo desenho!!😛

    O Onzeneiro tem cara de gato!!!!!!!!😉

  31. sara26leal said

    Tens razão Eva!

    Mas está engraçado!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: